Notícias

27/11/2015

Como fazer a limpeza correta de vidrarias de laboratório

Saber quais substâncias foram utilizadas nos instrumentos é fundamental

Buretas, almofarizes, cálices e condensadores, cubas para coloração, frascos e pipetas - parece fácil fazer a limpeza dessas vidrarias de laboratório, não é mesmo?! Mas por se tratarem de instrumentos aplicados em análises que exigem muita precisão, sua higienização é fundamental.

No entanto, antes de fazer a limpeza correta de vidrarias de laboratório, é preciso saber quais as substâncias que foram utilizadas nos instrumentos. Isso porque existem métodos, produtos e tipos de limpezas específicos para cada solução química. E foram essas diferenças que separamos para você. Confira!
 

Soluções químicas comuns
- Soluções solúveis: lavar 03 a 04 vezes com água deionizada e em seguida, colocar o vidro para secar;

- Soluções insolúveis: lavar 02 a 03 vezes com etanol ou acetona, lavar 3 a 4 vezes com água deionizada e, em seguida, colocar o vidro para secar. Em algumas situações, pode ser necessária a utilização de outros solventes para a lavagem inicial;

- Ácidos e Bases fortes: sob um exaustor, limpar cuidadosamente o vidro com volumes abundantes de água da torneira, lavar 03 a 04 vezes com água deionizada e, em seguida, colocar o vidro para secar;

- Ácidos fracos: lavar 03 a 04 vezes com água deionizada antes de colocar o vidro para secar;

- Bases fracas: enxaguar abundantemente com água da torneira para remover a base e, em seguida, lavar 03 a 04 vezes com água deionizada antes de colocar o vidro para secar.


Vidrarias especiais
- Vidraria utilizada em química orgânica: usar água deionizada para conteúdos solúveis em água, e etanol para conteúdos solúveis em etanol, seguido por lavagens em água deionizada. Caso seja preciso, você pode esfregar o vidro com uma escova usando água quente e sabão, enxaguar bem com água da torneira e fazer lavagens com água deionizada;

- Buretas: lavar com água quente e sabão, enxaguar bem com água da torneira e lavar 03 a 04 vezes com água deionizada. Além disso, certificar se as lavagens finais removeram todos os conteúdos da vidraria;

- Pipetas e balões volumétricos: em alguns casos, pode ser necessário deixar o vidro de molho durante a noite em água com sabão. É recomendável o uso de água morna e sabão, assim como esfregar a vidraria com uma escova. É preciso enxaguar com água da torneira, seguido por 03 a 04 lavagens com água deionizada.


Para outros cuidados de como fazer a limpeza correta de vidrarias de laboratório, acesse aqui.
 

Unidades
São José do Rio Preto/SP
+55 17 3512-4740

Campinas/SP
+55 19 3271-1507

São José dos Pinhais
+55 41 3146-4600


lucadema@lucadema.com.br
Assine nossa newsletter e receba novidades em seu e-mail

� Grupo Lucadema - Todos os direitos reservados - As fotos dos produtos são meramente ilustrativas
Por Diginova Sites e Sistemas